(Mário Quintana)

Google Custom Search



quinta-feira, 20 de setembro de 2007

A Parisiense

© Walmir Lima
"A Parisiense"
(Óleo sobre tela pintado por Walmir Lima, aos 10 anos de idade)

Grato pelas palavras nos comentários da postagem anterior, "Amigos Novos, Postagens Antigas", e, devido às perguntas suscitadas, resolvi contar.

Esse quadro, lá publicado, tem uma pequena história...

Aos 10 anos, eu estava perdidamente apaixonado pelo meu primeiro amor, Fanny, uma coleguinha de classe, na Aliança Francesa, e procurei retratá-la num ambiente parisiense.

Acabei caprichando mais nos pontos dela que me fascinavam na época: os olhos e a boca. E até que 'a parisiense' ficou mesmo bem parecida com a linda Fanny.

Fanny era uma menina de família aparentemente abastada e eu, de família humilde, era bolsista no curso que ambos freqüentávamos.

"Nosso amor é impossível. Somos crianças, e, ademais, eu sou judia e você, cristão. Minha família nunca aceitará."

Foi assim que ela, lúcida e conformada, tentou me fazer entender, nos últimos dias do curso, falando diante de um Walmir pasmo e despedaçado.

Foram cinco anos de convívio platônico, maravilhoso e sonhador – quatro anos de "Língua Francesa" e um de “Civilização Francesa”. Nunca me esquecerei do famoso livro didático "Le Mauger" e seu personagem principal, Monsieur Vincent, que nos acompanhou por todo o curso. Que bela recordação!

Foi nessa época que me encontrei deslumbrado pelo mundo da arte, no contato que tive através da biblioteca da Aliança Francesa de Santos. Ficava horas e horas depois das aulas e aos sábados, lendo, olhando as pinturas e textos daquele país maravilhoso e seus estupendos artistas. E sonhando... sonhando... voava em pensamento até Paris, Nice, Marseille, Alsace, Bretagne, Bordeaux...

Na verdade, comecei na pintura aos oito anos de idade, como autodidata, sem saber sequer como misturar as tintas. E nunca aprendi formalmente.

Mas, foi assim, através da pintura, que, aos nove anos, ganhei a bolsa de Francês ao vencer um concurso de pintura que foi promovido nas escolas de curso primário de Santos (hoje, primeiro grau).

Ganhei a medalha de ouro e a bolsa completa de cinco anos.

O concurso interno na Escola Municipal Barão do Rio Branco, foi organizado pela Vice-Diretora, Profa. Ada La Scala, a quem agradeço, eternamente, pelo material de pintura utilizado, já que eu não tinha como comprar.

Jamais esquecerei o brilho dos olhos e o sorriso orgulhoso de D. Raquel, quando disse à classe que eu ganhara o concurso.

Tenho o maior carinho por esta cena que ficou gravada, de maneira indelével, em minha mente.

D. Raquel Leite, meu amor especial, quase materno, minha Professora de classe do curso primário, era uma senhora negra, linda, dentes alvos, corpo e busto avantajados e cabelos começando a agrisalhar, era o símbolo da bondade, da dedicação generosa e do amor.

Ela tinha orgulho de mim. Era, absoluta e totalmente, recíproco.

Dois anos mais tarde, eu ganharia outro concurso semelhante - o de pintura, da Società Italiana di Beneficenza, cujo primeiro prêmio era, também, uma medalha de ouro e uma bolsa completa de estudos de Língua Italiana, que teve duração de dois anos.

Foi mais um "banho" de arte e de cultura que tive sobre o berço da nossa civilização.

Fiquei 32 anos sem ver esse quadro, "A Parisiense".

Hoje, ele pertence ao acervo de minha primeira esposa, Clélia, que, há poucos dias atrás, gentil e carinhosamente, me enviou essa foto, via torpedo, no celular.

Quanto a voltar a pintar... bem que eu penso... desejo... tento...

Meu cavalete está armado na sala há anos, com todos os apetrechos ao lado e uma tela em branco, à espera do momento.

Minha forma de vida, junto com minha arte, persistem, tormentosamente, inacabadas.

Marcadores: ,


LINK => CLIQUE AQUI PARA FAZER SEU COMENTÁRIO

34 Comentários:

Anonymous Maria Helena Trevisan disse...

Meu querido amigo Walmir:

Disses; "Quanto a voltar a pintar..bem que eu penso...desejo...tento"...

Acho que não devas pensar...mas sentir e pintar...expressar seu sentir em sua tela...já que desejas e tentas...Com certeza serás linda, como sempre são tuas palavras.

21 de setembro de 2007 23:27  
Blogger  disse...

Walmir:
Entre o quadro(e o talento do autor), e a estória (que me encheu os olhos d'água), não sei qual o mais bonito.
Sei sim, que o que é mesmo linda é a essência, a alma, a sensibilidde do protagonista desta vida.
Ter vc como amigo é uma honra e um privilégio.
Bjo

22 de setembro de 2007 13:24  
Blogger Angela disse...

Walmir,
Que nesse teu corpo de homem, não deixe nunca de exitir o menino que voa em pensamentos, quem sabe menos lúcido e conformado que a pequena Fanny.

Obrigada pelo prazer de compartilhar conosco da sua arte, seu talento e parte de sua vida.

Chegará a hora de colorir a tela.
Chegará!

22 de setembro de 2007 15:06  
Blogger Flavio Ferrari disse...

Esse é o Walmir ... um apaixonado pelas mulheres desde pequeno, e sempre com o cavalete armado ...

23 de setembro de 2007 02:45  
Blogger Walmir Lima disse...

Faz sentido, Flávio!
Cavalete lembra cavalo, que lembra Centauro, que lembra o Sagitário, que dispara suas setas, que lembram o Cupido, que lembra o Amor... o lindo e merecido Amor pelas mulheres...

23 de setembro de 2007 03:59  
Blogger Walmir Lima disse...

Maria Helena, Lú e Angela, inspirado por musas como vocês, claro voltarei a pintar. E quadros lindos, sem dúvida.

23 de setembro de 2007 04:00  
Blogger  disse...

Esse é o Walmir Flávio:
A gente fala que o quadro deveria estar com ele,e ele diz elegantemente que está em mãos de ótima curadora.
A gente fala que ele está de cavalete armado:ele vai fazendo co-relações até chegar em Roma antiga e Cupido(que não por acaso teve um "caso sério" com Psique) falar de amor e de beleza...
Fidalguia e fleuma.
Um "barato total".

23 de setembro de 2007 08:32  
Blogger Jorge Lemos disse...

Num outro comentário havia eu falado em Renoir: a semelhança das cores e traços é enorme. Só que ele não se revelou tão cedo. Uma lamentavel perda para quem prometia tanto. Faça uma foto da "Parisiênse" pois
vou usar na capa de um futuro livro sobre mulheres: "O lado bom da maçã", trabalho quase concluido entre pequenas crônicas e algumas
poesias.

23 de setembro de 2007 11:20  
Blogger Jorge Lemos disse...

Em tempo:
"O Lado Bom da Maçã" mergulha
na revelação do amor, mesmo tardio, o que não foi o seu caso!

23 de setembro de 2007 11:22  
Blogger Anne M. Moor disse...

Como diz a Lu, é um privilégio ter te conhecido e te contar como amigo... Pega o pincel na mão meu amigo... nós agradecemos... A tua vida continua a desenrolar...
Abraço

23 de setembro de 2007 20:27  
Anonymous Ti disse...

Walmir,

Lindo quadro e linda passagem que pude ouvir pessoalmente!!

Beijos

23 de setembro de 2007 22:30  
Blogger Walmir Lima disse...

Grato, Anne, por tua visita, sempre bem-vinda.
E por tuas palavras, que sei, são sinceras, como sinceros são meus pensamentos ao te dizer que os caminhos e desígnios de Deus às vezes nos parecem tortuosos e difíceis de aceitar, mas sempre nos levam a Ele.
Seja qual tenha sido a forma pela qual Ele a chamou, por certo, está em seu aconchego.
Um beijo carinhoso.

24 de setembro de 2007 00:57  
Blogger Walmir Lima disse...

Caro Jorge, convite aceito com alegria. Será uma honra. Vou arranjar uma foto mais nítida para a capa do livro.

24 de setembro de 2007 01:01  
Blogger Walmir Lima disse...

Ti,
Muito grato por me receber em sua casa.
Foi demais poder contar-lhes outros detalhes, que foram sendo lembrados à proporção que conversávamos.
Até eu viajei mais no tempo, para épocas e episódios que me são muito caros... Grande papo, o nosso!

24 de setembro de 2007 01:12  
Anonymous zuleica disse...

Não sou expert em pintura, mas acho seu quadro bom, independente da idade com que foi feito. Se levar em conta a idade, então, dá vontade de pegar o menininho no colo e mandar um bilhete desaforado para a "parisiense".-abraços- zuleica

24 de setembro de 2007 10:27  
Anonymous Riogi Watanabe disse...

Walmir,
Linda sua história, diria que é um poema.
Meu amigo, você tem o dom de enriquecer as palavras e transformá-las em grandes histórias.
Desculpe pelas minhas breves palavras, porém são sinceras.

Estamos te aguardando para o aniversário de 15 anos da Mariana. Não falte!!!!
Um fraternal abraço
Riogi

24 de setembro de 2007 16:12  
Blogger Flavio Ferrari disse...

Lú: fidalguia e fleuma também ajudam ...

25 de setembro de 2007 00:02  
Blogger  disse...

Sempre ajudam.
Cada pessoa tem um charme especial que a torna encantadora.
Basta ter olhos e ver.

25 de setembro de 2007 00:14  
Blogger Udi disse...

(tava postando um comentário aqui quando a NET me deixou sem conexão... acho que não vou conseguir a mesma emoção que me impactou no momento em que li)

Fiquei supresa com todas as histórias por trás daquela tela. Lindo! Cada uma das pessoas citadas por você neste post, renderia assunto para várias postagens, cada uma nos sendo apresentada detalhadamente, o que acha?

26 de setembro de 2007 12:26  
Blogger Walmir Lima disse...

Zuleika, Lú e Flávio
Obrigado pelas palavras.
Quizera escrever mais, só que estou sem net em casa e o tempo está escasso.
Udi, gostei da sugestão. Quando der escrevo mais sobre as pessoas que enriqueceram meus sonhos.

27 de setembro de 2007 20:35  
Blogger Walmir Lima disse...

Riogi, as palavras pode ser breves mas tão ricas, porque saem do coração. Me recompensa saber que você, a quem tanto admiro, me retribui com esse apreço.

27 de setembro de 2007 20:37  
Blogger Maria disse...

Waldir lindo a forma como nos colocasse inteiros na tua história. Sentamos todos na sala, nos mostrastes o cavelete. A audiêcia embevecida em tão bela história te diz:
Pinta!

30 de setembro de 2007 04:45  
Blogger  disse...

Como dizem a Anne e o Flávio:pega o pincel na mão, faz um cinco contra um (cino telas com um pincel), arma o cavalete...

SOCORRO! A MALU FUGIU!
SEGURA ELA AI....

Constrangida, peco desculpas.Vou mandar essa neuronia passar uns tempos em `Aguas de Lindoia`,pra ver se acalma...

2 de outubro de 2007 09:54  
Blogger É! disse...

Walmir, eu (nós) já era fã de toda a sua delicadeza, depois dessa, meu amigo... ficou difícil não fundar um clube!
O quadro é impressionante, já havia te dito isso, mas agora, acompanhado da história, êstou a suspirar... rsrsr...
Devia ter feito Aliança Francesa quando pequena... Será que já é tarde demais?????
Beijão!

8 de outubro de 2007 20:24  
Blogger ANA disse...

Cuantas cosas!,
Yo tambien etudié en la "Alianza Francesa", desde que tenía 6 años.
Me emociona encontrar alguien como tú, que pinta, que habla francés, español, Brasileiro, y seguro que ingles,no puedo creer que además, escriba poesía, pinte, cante estupendamente, toque la guitarra, ...
Como te dije en el comentario, eres una persona con la sesibilidad a flor de piel, y además con una capacidad de amar tremenda, estoy segura.
Esta historia con Fanny (que casualidad con el nombre) me lo demuestra.
Seguro que Fanny te recuerda bien.Seguro que eras un niño guapísimo, lo sé.
Ese cuadro debería volver a ti.
Te mando un cariñoso abrazo, siempre te hago volver atrás.
Gracias por tu atención,
ana.

2 de março de 2008 19:02  
Blogger Nathássia disse...

olá Walmirrr....
lindas as suas palavras e claro a tela tbm...
grandiosa a sua sensibilidade,carinho e amor ao colocar as mais belas e tocantes palavras para expressar a alma...o coraçao...
Realmente um eterno e ilustre apaixonado....
beijoss com muito carinho...

15 de maio de 2008 15:25  
Blogger Walmir Lima disse...

Olá, querida Nathássia, que bom tê-la por aqui, finalmente.
Espero que leia outras matérias e que volte sempre.
Será sempre bem-vinda!
Ilustre... não sei.
Às vezes, um pouco eloqüente demais, mas sempre de coração aberto e sincero na expressão do meu sentimento, como cabe a um eterno apaixonado, pela beleza, pela pureza feminina e pela vida.
Grato por suas palavras carinhosas. Elas muito me animam a escrever, principalmente quando partem de você, cujos olhos brilhantes, tão penetrantes e o sorriso iluminado são a própria fonte inspiradora.

18 de maio de 2008 01:14  
Anonymous Anônimo disse...

Quero saber qual o significado de sonhar com um centauro a pregar algo na mão de alguém.

e-mail:
fernando_rodriguesl@hotmail.com

12 de abril de 2009 20:20  
Anonymous Nidia disse...

Walmir

Que bom ser surpreendida por seu talento para a pintura. Parabéns!
E, mais uma vez, parabéns pela pequena Alice! Que seja muito abençoada!

Beijos

Nídia

21 de junho de 2009 03:45  
Blogger Walmir Lima disse...

Querida Nídia,

A pintura vem comigo naturalmente, desde o berço.
Nunca fiz um curso, mas, penso que, se o fizesse, não seria tão espontânea.
Pena que não disponho do tempo para me dedicar como gostaria.

A Alice é uma daquelas doçuras que a vida nos reserva, não importam as atribulações.

Grato pelas palavras, e um beijão

21 de junho de 2009 09:31  
Blogger imagem disse...

Q lindo...
O cavalete esta la... não deixe esperando não... a vida é curta.
Bjs
Rose

19 de novembro de 2011 22:19  
Anonymous Cynara Mattos disse...

Que coisa mais linda Walmir!! Me emocionei!!
Vc escreve de uma forma tão clara e verdadeira, que podemos nos reportar ao momento...Isso é fantástico!!
Quanto à pintura, o que é que ainda está fazendo o seu cavalete abandonado na sua sala hein??? Nada disso!!!
Ficarei aqui, aguardando o seu mais novo trabalho, ok??
Parabéns, mais uma vez!!
Amanhã continuarei lendo, com todo carinho, essas coisas lindas que vc escreve!
Boa noite!

18 de agosto de 2012 00:19  
Blogger Walmir Lima disse...

Oi, querida Cynara

São manifestações gratificantes como a sua que fazem tudo valer a pena, principalmente porque as postagens que te agradaram são reais fragmentos da minha alma, pedacinhos de mim que recebem todo esse carinho.

Beijos,
Walmir

.

20 de agosto de 2012 12:25  
Anonymous Cynara Mattos disse...

Vc não respondeu à pergunta...
O cavalete? Vai continuar abandonado no canto da sala?

5 de setembro de 2012 01:04  


LINK => CLIQUE AQUI PARA FAZER SEU COMENTÁRIO

34 Comentários:

LINK => VOLTAR À PÁGINA PRINCIPAL