(Mário Quintana)

Google Custom Search



sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Solidão

© Walmir Lima


Poetar é enxergar além
Poetar é sentir além
É saber contar a alma...

-o0o-


Solidão


Solidão não é a falta de gente para conversar,
Para namorar, passear ou fazer sexo...
Isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos
Pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar...
Isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes,
Para realinhar os pensamentos...
Isto é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe,
Para que revejamos nossa vida...
Isto é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado...
Isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos
E procuramos, em vão, pela nossa alma...



(Postagem dedicada a Chico Buarque de Holanda, um poeta capaz sentir e contar a alma, principalmente a feminina, mas que deveria APENAS compor músicas)


.

Marcadores:


LINK => CLIQUE AQUI PARA FAZER SEU COMENTÁRIO

8 Comentários:

Blogger Ava disse...

Walmir, e solidão maior ainda é quando demoramos para achar o caminho de volta...

Ou quando destruimos todas as pontes...

Bela postagem!

E seu recadinho, deliciosamente sutil, foi providencial...

Concordo com voce em gênero, número e grau...

29 de outubro de 2010 19:49  
Blogger Ava disse...

Ah! Faltou o beijo e um ótimo final de semana...rs

29 de outubro de 2010 19:50  
Blogger Walmir Lima disse...

Grato pela visita, Ava

Louvo tua percepção e inteligência.

Um beijo, e que tenhamos, sim, um bom fim de semana.

Walmir

30 de outubro de 2010 03:57  
Anonymous Anônimo disse...

Walmir, somente alguém com a sua sensibilidade e brilho para definir com tanta clareza e beleza a solidão.

Beijos

Paquita

30 de outubro de 2010 11:49  
Blogger Walmir Lima disse...

Paquita,

Que bom poder contar com a tua visita, saber que você (como poucos especiais, que aproveito para beijar aqui, com afeto) espera meus escritos, minhas citações, homenagens e "delírios", e deseja compartilhar das obras de arte que admiro - saber que você está aí, e que vai receber tudo isso com carinho.

Beijos

30 de outubro de 2010 12:48  
Anonymous maria cléia disse...

nossa que verdade mais verdadeira!!!! bjs maria cléia

31 de outubro de 2010 23:31  
Blogger Walmir Lima disse...

Olá, Maria Cléia

Grato por sua primeira visita, lá na postagem que fiz para meu netinho Piero Lucas.

Dias atrás, tive a sorte de conhecer seu filho Gustavo, que me causou uma belíssima impressão, já que ele demonstrou, no pouco tempo em que conversamos, ser uma pessoa inteligente, de excelente formação, sensibilidade e visão de mundo.

Agora, ao conhecê-la um pouquinho e ter visitado o seu "Recanto das Letras", tudo fez sentido. Ele tambem tem do que se orgulhar!

Parabéns por seus escritos poéticos e pelo filho querido, seu poema maior!

Abraços,

Walmir

4 de novembro de 2010 13:52  
Blogger A.Tapadinhas disse...

Walmir: Brilhante e poética definição de solidão que nos deixa sem a satisfação masoquista de nos sentirmos sós...

...mas acompanhados da pessoa de quem mais gostamos: de nós próprios.

Se alguém alterar a sequência do nosso código genético, ADN, quem sabe o que aconteceria? Algo como o bater de asas da borboleta que provoca um furacão no outro lado do mundo? Chico é assim...

Sei que estás em festa, pá
Fico contente
E enquanto estou ausente
Guarda um cravo para mim

Abraço,
António

5 de novembro de 2010 11:17  


LINK => CLIQUE AQUI PARA FAZER SEU COMENTÁRIO

8 Comentários:

LINK => VOLTAR À PÁGINA PRINCIPAL