(Mário Quintana)

Google Custom Search



quinta-feira, 20 de março de 2008

E de novo a Esperança

© Walmir Lima

E de novo a Esperança

Trago no peito
Nova esperança
No esperar pulsante
Da grande visão

Trago na alma
Nova coragem
A buscar o tudo
Sem saber de nada

Como certeza
Apenas a incerteza
Do que sou agora

Vivendo o certo
No meio incerto
Do que serei amanhã

Marcadores:


LINK => CLIQUE AQUI PARA FAZER SEU COMENTÁRIO

14 Comentários:

Blogger Jorge Lemos disse...

Perfeitos
pelo que escondem
Hibridos versos que afloram

Sedutor
pela proposta avança
pela esperança

Aqui algo que veio para ficar
Versos e Poeta
Vertente livre revela sentimento



Parabens Walmir

20 de março de 2008 08:26  
Blogger Walmir Lima disse...

Meu querido Jorge,
Versos, mais dizem quando não revelam.
E versos híbridos, um belo meio para esse fim.

20 de março de 2008 09:00  
Blogger Walmir Lima disse...

Os versos híbridos são mesmo desafiantes.
Obrigado pelas palavras de incentivo nessa minha primeira e tímida incursão por eles.

20 de março de 2008 10:11  
Blogger Anne M. Moor disse...

Teus versos fluem gostoso :-) e deixas as entrelinhas pulularem senhor poeta...
Hope propels us forward...
beijos

20 de março de 2008 12:22  
Blogger Walmir Lima disse...

Querida Anne,
Quem escreve nas entrelinhas é o leitor, que é quem entende. O 'pobre' poeta apenas subentende.
bjo

20 de março de 2008 13:10  
Blogger Anne M. Moor disse...

Rico poeta a poetar meu amigo... O poeta entende o que lhe impulsiona a escrever. O leitor liga o escrito ao seu contexto, seu estado de espírito, sua experiência de vida e constrói uma compreensão única. Por isso, poetar e poesia é tão lindo. Dá asas aos nossos vôos...
Continua escrevendo e pintando, I hope...
Beijos

20 de março de 2008 17:22  
Blogger ANA disse...

Walmir,
Se a manhã não nos desvela para novas alegrias e, se pela noite não nos fica nenhuma esperança, é que vales a pena se vestir e se despir? Johann Wolfgang Goethe.

.................................

"É muito estranho que nos anos nos ensinem paciência; que quanto mais curto é o tempo, mais capacidade temos de esperar."

Y yo te digo en español, porque sé que me entiendes tambien,, que la esperanza es el lenguaje de los sueños, que la ilusión son los oleos de nuestros cuadros, sin ella no vale la pena la vida.
Esperanza+ilusión=vida.

Un beso GRANDEEE para ti Walmir,
ana.
P.D.Mi brasileiro o portugués tiene truco, ya sabes, internet tiene solución para todo.

20 de março de 2008 22:07  
Blogger Angela disse...

Esperança nas mãos que falam em versos e no silêncio da pintura.
Esperança que pulsa...em um mesmo pulso.

21 de março de 2008 00:30  
Blogger Suzana disse...

Também penso que quem escreve nas entrelinhas é o leitor,mas
também creio que o leitor escreve nas entrelinhas das entrelinhas.

Devo dizer que sua "timida" incursão traduz a extroversão de sua sensibilidade.

21 de março de 2008 02:01  
Blogger Walmir Lima disse...

Ana, Angela e Suzana...
Sábias palavras de mulheres sensíveis: fonte pura e rica de inspiração.

21 de março de 2008 03:02  
Blogger  disse...

Sensibildade aflorada,
Talento latente,
Saudade cortante.
Beijo.

21 de março de 2008 12:52  
Blogger Walmir Lima disse...

Lú,
Coração transbordante.
bjo

21 de março de 2008 12:59  
Blogger A.Tapadinhas disse...

"De poeta e de louco, todos temos um pouco". E de menino, acrescento eu...
Encontrar a criança que há em nós, depois de passar parte da vida a pensar/fazer coisa "sérias" é uma descoberta maravilhosa... Eu sei!
Abraço de centauro.
António

22 de março de 2008 11:28  
Blogger Walmir Lima disse...

António,
Somos dois velhos 'crianções' a descobrir a vida.

5 de abril de 2008 22:43  


LINK => CLIQUE AQUI PARA FAZER SEU COMENTÁRIO

14 Comentários:

LINK => VOLTAR À PÁGINA PRINCIPAL