(Mário Quintana)

Google Custom Search



sábado, 24 de janeiro de 2009

Per Crucem Ad Lucem

© Walmir Lima



Nenhum de nós pode escolher as coisas que nos acontecem - algumas boas outras más - mas todos podemos escolher nossa resposta às coisas que nos acontecem.

Essa vida tem sido uma travessia difícil e, muitas vezes, bem penosa. Muita injustiça, muita injúria e incompreensão.

Ao longo dela busquei sabedoria, explicações, evolução. Jovem ainda busquei no oculto a luz para enxergar o que não via. Pratiquei ritos e experimentos. Bem o sabem Jorge e Ernesto o quão fundo neles fomos.

Na verdade, a vida inteira foi e tem sido o próprio “experimento” - um belo e profundo experimento.

Hoje, já com o corpo e a alma cansados de buscas e frustrações, lembro e restauro em mim os ensinamentos dos Kahunas, antigos polinésios cujo credo, por princípio, consistia em “não fazer o mal a ninguém”, onde encontrei, há tempos, a palavra de conforto para essa alma inquieta, aflita, e quase irremediavelmente insatisfeita - a palavra da compreensão - na palavra amiga e amadurecida do PERDÃO, assim, em forma de oração...

Buscando eliminar todos os bloqueios que atrapalham minha evolução, dedicarei alguns minutos para perdoar.

A partir deste momento, eu perdôo todas as pessoas que de alguma forma me ofenderam, me injuriaram, me prejudicaram ou me causaram dificuldades desnecessárias.

Perdôo, sinceramente, quem me rejeitou, me odiou, me abandonou, me traiu, me ridicularizou, me humilhou, me amedrontou, me iludiu.

Perdôo, especialmente, quem me provocou até que eu perdesse a paciência e reagisse violentamente, para depois me fazer sentir vergonha, remorso e culpa inadequada.

Reconheço que também fui responsável pelas agressões que recebi, pois, várias vezes, confiei em indivíduos negativos e permiti que, com sua inveja, me fizessem de bobo e descarregassem sobre mim seu mau caráter.

Por longos anos suportei, perdendo tempo e energia, na tentativa inútil de conseguir um bom relacionamento com essas criaturas.

Já estou livre da necessidade ou da obrigação de conviver com indivíduos e ambientes tóxicos. Me concentrarei, cada vez mais,em buscar a companhia de gente amiga, sadia e competente, que queira compartilhar sentimentos nobres, enquanto trabalhamos pelo nosso progresso comum.

Quando me lembrar das pessoas que me fizeram sofrer, procurarei valorizar suas boas qualidades.

Se por acaso pensar nelas, lembrarei que já estão perdoadas e descartadas de minha vida íntima definitivamente.

Agradeço pelas dificuldades que essas pessoas me causaram, pois isso me ajudou a evoluir, do nível humano ao nível espiritualizado.

Dou razão a todas as pessoas que rejeitaram o meu amor e minhas boas intenções, pois reconheço que é um direito que assiste a cada um não me corresponder e me afastar de suas vidas.

Agora, sinceramente, peço perdão a todas as pessoas a quem, de alguma forma, consciente e inconscientemente, eu ofendi, injuriei, prejudiquei ou desagradei.

Analisando e fazendo julgamento de tudo que realizei ao longo da minha vida, vejo que o valor das minhas boas ações é suficiente para pagar todas as minhas dívidas e resgatar todas as minhas culpas, deixando um saldo positivo a meu favor.

Sinto-me em paz com minha consciência.

'Per Crucem ad Lucem'





Imagem: Ibisco Branco - A Flor do Perdão (Fotografada em Janeiro de 2009)

Marcadores:


LINK => CLIQUE AQUI PARA FAZER SEU COMENTÁRIO

17 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Todo caminho é feito de altos e baixos; reza a experiência que o momento mais difícil é o primeiro passo. Longa seja a caminhada onde cenários novos serão descortinados. Feliz daquele que se encontra na busca da paz profunda.
Só os justos e sábios divisam sinais no curso da jornada. Conheça-te a ti mesmo, este o momento.
Abraços e apoio.
Jorge Lemos

24 de janeiro de 2009 10:11  
Blogger Anne M. Moor disse...

Walmir,
Acabo de receber esta frase logo após ler o teu texto.

"Ninguém é dono de sua felicidade, por isso,: não entregue sua alegria, sua paz e sua vida nas mãos de ninguém, absolutamente ninguém!"

O ato de nos olhar no fundo do olho no espelho e enxergar quem somos é um processo dolorido mas libertador...

Fico feliz de te sentir em paz. Vive meu amigo e SEMPRE te permite ser feliz.

Abração

24 de janeiro de 2009 20:03  
Blogger Ernesto Dias Jr. disse...

Mais que tempo de largar o fardo à beira da estrada. Não faltará um tolo que o carregue.
Na nossa idade só há lugar para boas companhias, porque aprendemos a enxergá-las.
Que tal comemorar em um karaokê na quarta??

25 de janeiro de 2009 01:11  
Blogger Walmir Lima disse...

Querido Jorge,

Quando publico uma nova postagem, fico sempre à espera dos seus comentários, na certeza absoluta de receber mais um maravilhoso e sábio ensinamento.

Paz profunda, amigo.

Walmir

25 de janeiro de 2009 13:26  
Blogger Walmir Lima disse...

Anne,

Outra certeza é a de contar com teu sentimento fraterno e positivo de profunda amizade.

Um beijo,

Walmir

25 de janeiro de 2009 13:29  
Blogger Walmir Lima disse...

Ernesto, amigão.

Como disse a postagem, "Me concentrarei, cada vez mais,em buscar a companhia de gente amiga, sadia e competente...", como vocês.

Farei todo o possível para ir ao Karaokê. Só não sei se poderei cantar.

Você já sabia que estou, há dois meses, com uma tosse chata, incessante e consequente suspeita de um refluxo gástrico. O que você não deve saber (já que você não atende o telefone, "seu mardito" !), é que na sexta-feira passada fiz um exame super desagradável chamado "Manometria Esofagiana" e na próxima segunda-feira farei outro - uma Endoscopia.

A Manometria já constatou uma obstrução no esôfago. Agora, vamos ver o que aparece na endoscopia e procurar as possíveis causas.

Pretendo tentar cantar, pelo menos, uma musiquinha (vamos repetir a velha dupla em "Imagine"?, mas poder estar junto de vocês já será maravilhoso.

Um abração.

25 de janeiro de 2009 13:54  
Blogger A.Tapadinhas disse...

(1)Per crucem ad lucem ou, por outras palavras, mas na mesma língua, (2)ad augusta per angusta!
Perante o que li, sinto que chegaste ao fim das veredas e agora tens perante ti um caminho largo e luminoso...
Abraço.
António

1)Pela cruz à luz!
2)A resultados sublimes por veredas estreitas.

25 de janeiro de 2009 15:25  
Blogger Anne M. Moor disse...

Walmir,
Ao procurar uma coisa que queria pra comentar lá no Arguta achei isto daqui e me lembrou deste momento que estás a passar:
It's hard to smile when you feel lost,
It's harde still to laugh.
But smiling makes the shadows go,
And mirth can smooth your path.

So, don't give up, keep plodding on,
You'll find the right connection.
We need to loose our way, at times,
To choose the best direction.

25 de janeiro de 2009 21:04  
Blogger Udi disse...

afe, Walmir! que te aconteceu?!
força aí!

quarta-feira, vamos subir no palco e cantar Gil (vá treinando):

"Subo nesse palco, minha alma cheira a talco
Como bumbum de bebê, de bebê
Minha aura clara, só quem é clarividente pode ver
Pode ver
Trago a minha banda, só quem sabe onde é Luanda
Saberá lhe dar valor, dar valor
Vale quanto pesa prá quem preza o louco bumbum do tambor
Do tambor

|Fogo eterno prá afugentar
|O inferno prá outro lugar
|Fogo eterno prá consumir
|O inferno, fora daqui

Venho para a festa, sei que muitos têm na testa
O deus-sol como um sinal, um sinal
Eu como devoto trago um cesto de alegrias de quintal
De quintal
Há também um cântaro, quem manda é Deus a música
Pedindo prá deixar, prá deixar
Derramar o bálsamo, fazer o canto, cantar o cantar
Lá, lá, iá

|Fogo eterno prá afugentar
|O inferno prá outro lugar
|Fogo eterno prá consumir
|O inferno, fora daqui"

26 de janeiro de 2009 10:34  
Blogger Cadinho RoCo disse...

A força do perdão é incomensurável.
Cadinho RoCo

27 de janeiro de 2009 22:27  
Blogger Flavio Ferrari disse...

Cara, você complica demais as coisas.
Seja você mesmo, siga seu coração, não afunde em culpas que são frutos de julgamentos alheios e, sobretudo, seja grato.
O inferno, meu amigo, é a culpa.
E posso falar com liberdade porque já sei que estou perdoado, não é mesmo ?
Beijo

27 de janeiro de 2009 23:34  
Blogger Tecnenfermaginando disse...

perdão=esquecimento

às vezes é preciso mesmo deixar o fio terra fazer a sua parte.

:(

28 de janeiro de 2009 12:26  
Blogger Amanda Arthur disse...

Walmir,
Depois de muito tempo, cá estou num tour pela blogosfera e vejo seu depoimento, um pouco mea culpa, um pouco, que se f... (sorry!).
Como dizia a música "don´t worry, be happy!". Você é querido demais pra andar tão borocoxô!!!
Beijo e saudade,
Amandita

10 de fevereiro de 2009 15:39  
Blogger Walmir Lima disse...

Antonio,
Anne,
Udi,
Flávio,
Teresa e Cadinho,
Minha gente amiga...
Agradeço as palavras de apoio, mesmo, talvez, sem saberem por que 'pedaços' estou passando. Não tem sido fácil, acreditem.
Mas este é o caminho, e vou seguir, apesar da convivência paradoxal do amor, dos fardos e da incompreensão do que vêem em mim e do que vejo do mundo.
Um beijo a todos.

12 de fevereiro de 2009 01:42  
Blogger Walmir Lima disse...

Amandita,

Que bom te ver de volta por aqui.
Você, sempre essa pessoa incrível que me cativa e apóia.
Você 'matou' bem a 'charada'...
É mesmo um
"que se f...!" bem grande.
E "dane-se o mundo que o Raimundo já foi fundo!"

Beijão

12 de fevereiro de 2009 01:46  
Blogger Tecnenfermaginando disse...

estava aqui, precisava dessas palavras,
especialmente hj

obrigada
teresa:)

13 de fevereiro de 2009 20:04  
Blogger Walmir Lima disse...

Teresa,

Fico feliz que, de alguma maneira, as palavras que escrevi te trazem um certo conforto.

Percebo que em momentos nossos sentimentos e visão de mundo se amalgamam.

Que possamos sempre encontrar um berço aconchegante onde repousemos nossas dúvidas e incertezas.

Que seja no 'O Centauro' ou no 'Sombras e Fragmentos' (que ajudo a compor visualmente e que tem um conteudo maravilhoso) ou em algum dos outros Blogs dos nossos amigos Bloguenígenas, que recomendo na coluna 'Links'.

Sempre haverá um braço amigo a nos aconchegar.

Um abração.

14 de fevereiro de 2009 04:04  


LINK => CLIQUE AQUI PARA FAZER SEU COMENTÁRIO

17 Comentários:

LINK => VOLTAR À PÁGINA PRINCIPAL