(Mário Quintana)

Google Custom Search



domingo, 19 de abril de 2009

Imaginária

© Walmir Lima

Te amo

E, ao dizê-lo,
Exponho o coração...

E as cicatrizes desaparecem.

Não importa a distância,
E o físico que nos separa desaparece.

Voa o pensamento
E o desejo inabalável de te ter.



.
(Imagem: Danae, óleo sobre tela de Gustav Klimt)

Marcadores:


Links para esta postagem

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Linda Guerreira

© Walmir Lima
Linda Guerreira

Noite escura, o vento soprava e o cheiro de mata penetrava com força pela varanda.

Minha fazenda ficava no meio da mata.

A rede balançava com vigor e os meus pensamentos de volta a você.

Um vulto percorria o muro e a silhueta selvagem vinha das sombras.

Movia-se com rapidez.

Novamente vinha sua lembrança.

Lembrança de doçura misturava-se à selvagem.

De repente, tudo se acalmou e, como num passe de mágica, lá estava a Lua abençoando com seu luar minha varanda.

O vulto selvagem de felina mostrava silhueta de mulher envolta em véus.

Do muro à varanda, vinha o perfume, vinha o aconchego, vinha mulher.

Seu contorno maravilhoso, deslumbrante se aproximava da minha rede.

Já não tinha mais véus.

Seu calor me envolvia num prenúncio de seu corpo quente.

Não via seu rosto, pois o luar só iluminava seu contorno.

Seus braços, seu corpo nu me queriam com desejo e ternura.

Seus lábios macios me envolviam seguidamente e me enlouqueciam de amor e volúpia.

Envolvemo-nos por um todo e unos desfilamos uma coreografia de intenso amor, enquanto a rede, por testemunha, nos embalava, freneticamente, por tempos infindos.

Molhados e extasiados, nos deliciamos por longas vezes.

Já não havia mais Lua, nem luar.

O amanhecer já dava sinais e os raios de Sol iluminavam minha varanda.

Não estava mais comigo e em meu corpo ficava o seu perfume e as marcas selvagens do seu carinho, de seu amor – amor de mulher meiga e felina.

Novamente vinha a sua lembrança.

Podia ver seu rosto, o seu sorriso e o detalhe dos cabelos.

Às vezes em desalinho, ao vento, e a suave trancinha se fazia notar como uma linda guerreira – guerreira da vida e do amor.

É um prazer conhecê-la, suave mulher, sensível, inteligente.

Sentir a sua energia – energia de alegria de bem viver.


Minha linda guerreira.

.
(Imagem retirada a pedido da autora)

Marcadores:


Links para esta postagem