(Mário Quintana)

Google Custom Search



quinta-feira, 14 de março de 2013

Da Importância do Perdão

© Walmir Lima
Da Importância do Perdão


Hoje, mais uma vez, confesso que estou cansado.

Cansado da sobrecarga de mais uma etapa difícil, de uma luta quase inglória. Mas, a despeito disso, vou buscar forças não sei onde, como a procurar um pedacinho de balsa no meio do oceano, para falar de algo maravilhoso que temos. Algo capaz de operar milagres em nossas vidas, principalmente em nossos corações.

O que adianta termos tudo o que queremos e esquecermos da paz em nosso coração? Acredito que tudo o mais valha muito pouco, não é mesmo?

Assim, buscando substituir este sentimento de revolta, para mim, é hora de parar, refletir um pouco e pôr em prática aquela parte da oração, que, geralmente, falamos automaticamente... sem realmente dizer...

"... assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido..."

E buscar na união do Espírito o alívio para as dores que me afligem a matéria e a alma...

Portanto, quero falar da Importância do Perdão.

Muitos de nós sabemos, temos plena consciência de que se vão os dedos e ficam os anéis. O que levamos dessa vida não são os bens materiais. Esses ficam. O que levamos, efetivamente, são os valores morais. Sim, os valores morais intrínsecos em nós: A capacidade de amar, de perdoar, de administrar uma família, de fazer e conservar amigos, de ser útil e prestativo ao próximo, a capacidade de manter o equilíbrio mesmo naquela hora mais difícil, a capacidade de dizer não dizendo sim, e por aí vai.

Uma das mais exuberantes qualidades que podemos desenvolver conosco, internamente falando, é a capacidade de perdoar. Perdoar a si próprio pelos erros cometidos agora, no passado, seja em que época for, e perdoar as pessoas envolvidas nas situações vividas.

Não importa quem tenha ou teve razão. O importante, é a nossa capacidade fornecer o perdão.

Lá do fundo do nosso íntimo, no fundo do nosso ser, de nossa essência, perdoar aqueles que fizeram papéis de algozes para conosco. Aliviá-los desse fardo que emperra seu crescimento espiritual e aliviarmos um pouco nosso peso cármico, que, como na maioria dos casos, também não é nem um pouco pequeno.

À medida que vamos exercitando nossa capacidade de perdoar, estamos dilatando nossa compreensão com relação ao ser humano. Estamos usufruindo desses benefícios todos que a Sabedoria Divina nos proporciona. Inclusive, estamos trocando nossas dívidas maiores por dívidas menores, através do merecimento.

Perdoar, é sempre uma grande chave - a chave para o desenvolvimento espiritual. O perdão envolve pessoas, sentimentos, mágoas antigas, retira doenças no duplo etérico, altera as vibrações de nossos chakras, nos proporcionando auras bonitas, brilhantes, de cores vivas, iluminando todo o nosso ser.

O perdão nos faz bem - a nós e àqueles que nos cercam.

De paz com a Vida e com o que Ela me traz ..!!

Que Nosso Pai Maior nos abençoe e que sejamos merecedores disso tudo.

Marcadores:


Links para esta postagem

Papa Francisco

© Walmir Lima
Papa Francisco

Que Deus ilumine o caminho e guie os passos do Papa Francisco no encontro da Paz, do Amor, da União, da Fé e da Luz entre os povos.
Walmir Lima

Oração de São Francisco de Assis

Senhor,
Fazei de mim um instrumento de vossa Paz.
Onde houver Ódio, que eu leve o Amor,
Onde houver Ofensa, que eu leve o Perdão.
Onde houver Discórdia, que eu leve a União.
Onde houver Dúvida, que eu leve a Fé.
Onde houver Erro, que eu leve a Verdade.
Onde houver Desespero, que eu leve a Esperança.
Onde houver Tristeza, que eu leve a Alegria.
Onde houver Trevas, que eu leve a Luz.

Ó Mestre,
Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado,
Compreender, que ser compreendido,
Amar, que ser amado.
Pois é dando, que se recebe,
Perdoando, que se é perdoado e
É morrendo, que se vive para a vida eterna,
Amém

Marcadores:


Links para esta postagem

terça-feira, 5 de março de 2013

Da Importância de Dizer: "Eu Te Amo"

© Walmir Lima
Da Importância de Dizer:
“Eu Te Amo”

Como é importante dizermos essas três palavrinhas.


O significado tem o poder de transformar coisas ruins em coisas maravilhosas.


Quando um filho enlaça com seus bracinhos e diz ao pai ou à mãe “eu te amo”, transcorre um feixe de luzes em volta dos dois, construindo e fortalecendo os liames que os une, de forma a consolidar aqueles laços de afetividade, de amor, de querer bem.


Como é bonito viver esses momentos !!


Estou acostumado a ouvir amigos que sofrem demasiadamente e relatam a sua dor por um ente querido não manifestar seu apreço, seu carinho, sua estima - seja sua esposa, seu marido, filho, filha, nora, neta, e por aí vai.


Engraçado o ser humano, o exemplo da evolução !?!?  As coisas evoluem, as descobertas do HOMEM moderno com sua tecnologia de ponta, os laboratórios com suas pesquisas nos apresentando remédios fantásticos, a tecnologia com a velocidade da informação onde em tempos recentes nem haviam condições de se imaginar. E o ser humano, ainda hoje, fazendo uso de suas queixas habituais.


Um pai ou uma mãe, defronte ao terapeuta, falando de forma triste, sentida, que trocaria muitas coisas, gratas e importantes, por um gesto de carinho de um ente querido.


Meu Deus!


Com toda a evolução acima citada, e o que ainda está por vir nos próximos anos, o ser humano pouco sabe lidar consigo mesmo, não é verdade?


Quantos e quantos se vêm nesta situação, de ter o bem material que querem, porém, o que gostariam mesmo de ter, pouco ou nada têm. O carinho, o afeto, o reconhecimento e a gratidão poucos realmente vivenciam. Certamente uns privilegiados !!


Mas, sejamos honestos e sinceros. Pouco se faz para que isso aconteça. Aí vem a pergunta: Porque? Porque somos duros, turrões, envergonhados, sem jeito, preconceituosos em darmos um abraço cheio, gostoso - aquele abraço integral, maravilhoso, que nos transporta a sensações de esplendor de amor.


Amor por todos os poros e lados. Beijar a quem amamos, às vezes, é algo intransponível aos nossos preceitos, preconceitos, formação, vergonha... Por isso sofremos.


E, diante do terapeuta, envergonhados de não sabermos e/ou não conseguirmos fazer, contamos nosso sofrimento interior por não ouvirmos:


Eu te amo !!


Não é fácil, porém, nada intransponível.


Outro dia assisti, em uma sala de espera, uma paciente, com extremo retardo físico, olha sempre para seus pais - adotivos - e os abraça, feliz, muito feliz, irradiando amor por todos os lados e emite seus sons de alegria, carinho, candura e querer bem. Ela assim se manifesta quando quer expressar seu sentimento de amor e reconhecimento.


Que felicidade nessa família, apesar da provação muito forte que habita seus dias, por sua existência !!


A experiência do amor fraternal nos faz mais dóceis, mais pacientes, calmos e tranqüilos. Faz-nos estar bem conosco mesmo e dilata e expande nossos valores morais, como a capacidade de amar, a capacidade de perdoar - inclusive a nós mesmos - a capacidade de tolerar, de sublimar, de abraçar a PAZ...


A inspiração para escrever me veio maravilhosa, quando as ouvi - ontem de Miro Nandes e Paula Nolf, queridos e tão espontâneos amigos, e hoje, de novo, de minha filha Angela.


Vamos exercitar essas três palavrinhas iniciando conosco mesmo. Quem não consegue se amar integralmente, precisa rever o que não se perdoou ainda.


Busque, análise e reflita, para então, se perdoar de suas faltas, das coisas que deixou de fazer, do que fez de forma errada...


Nunca é tarde para dizer verdadeiramente aos seus pares, a seus entes queridos...


EU TE AMO !!


Marcadores:


Links para esta postagem

domingo, 3 de março de 2013

Bailarina do Tempo

© Walmir Lima


Bailarina do Tempo

Lindíssima música do meu "irmãozinho" Miro Nandes, na voz maravilhosa da sua (nossa) querida Paula Nolf. O arranjo novo ficou incrivelmente dançante. Amei !!

Desfrutem !!

Comentário de Ernesto Dias Jr. no seu Blog "Assertiva": 

"Alguns sonhos levam mais tempo que outros para se realizar. Só é preciso correr atrás, mostrar as garras para o tempo e para o destino. E correr atrás é o que Miro e Paula sabem fazer melhor, com garra. Meses de trabalho e de muito amor - pela arte e pelo outro - resultaram em poesia musicada, emocionante."

 

Marcadores: ,


Links para esta postagem